quinta-feira, 30 de junho de 2011

Piano sem pianista












Estranhos dançavam
Ao som de um piano triste.
Numa estranha manhã
Em algum lugar que não existe

E a sinfonia tocada
Ressoada pelos cantos
De um salão cinza
Sobre olhares e espantos.

Naquele som sem sentido
De melodias descompassadas
O piano tocava sozinho
Suas histórias desencontradas

Aquela era a trilha sonora
De uma vida, sobreposta
Aos pequenos erros seus.

E o piano que tocava
Era o coração que já amava
Sem o pianista, que era eu

Promessa













Quando as coisas não estão bem
Eu fecho meus olhos e lembro-me do seu sorriso
E de todos os momentos juntos.
Isso é tudo o que eu preciso

Quando o mundo parece desabar
E a saudade chega de surpresa
Eu me lembro do teu sorriso
E ele acaba com toda minha tristeza.

Eu me apoio na sua lembrança
Esperando aquele beijo que ficou faltando
E a saudade, que ás vezes custa a passar
Só me prova que continuo te amando

Por isso que eu te peço
Não chore minha amada,
Pois está ausência, está prestes a acabar

De versos, faço esta promessa
Que por todas as lembranças passadas
Um dia, eu volto pra te buscar...

terça-feira, 28 de junho de 2011

A Casa ( The House para Estrangeiros)


Todas as noites, eu sonho com uma casa. A cada noite o sonho muda. Às Vezes é sonho, outras vezes é pesadelo. Mais a casa é sempre a mesma. E é isso que me assusta, pois não é a minha casa. É uma casa antiga e grande e tem janelas enormes e um telhado bem escurecido pelo tempo. A paisagem também muda a cada sonho, algumas vezes é no campo, outras é na cidade, já foi até no meio do deserto outro dia (Não me perguntem por que eu sonho com deserto!).
Certa noite, lá estava eu sonhando mais uma vez com esta casa. Eu estava dentro dela, e pela paisagem na janela, parecia ser primavera, não, o céu estava escuro, deveria ser inverno, ah sei lá, sonhos não são perfeitos não é? Era uma primavera com céu de inverno.  Eu estava no que parecia ser uma sala de estar, alguns móveis estavam cobertos por lençóis brancos e bem empoeirados. De repente, ouvi passos no andar de cima, barulhos de coisas caindo e alguns gritos. Subi as escadas correndo (Desculpem, já citei que a casa, na verdade era um sobrado? ) e depois passei por um corredor que me levava ao quarto de onde havia ouvido os barulhos.  Cheguei frente à porta do quarto, sentia minha respiração pesada, girei a maçaneta lentamente, porém estava trancada.
Lembrei-me que em outro sonho, de outra noite, havia um molho de chaves guardado na cozinha. Corri até lá e misteriosamente, o molho de chaves do outro sonho estava no mesmo lugar neste meu sonho recente. Peguei as chaves e novamente fui até a porta. Tropecei na escada e caí, mais isso não é relevante pra história.
Testei uma infinidade de chaves, até finalmente encontrar a certa. Girei-a duas vezes e pude ouvir o trinco estremecer-se como um ancião ansioso à espera de seu convidado. Girei também a maçaneta, pois o molho de chaves já havia desaparecido ( acho que voltou sozinho pra cozinha) e então abri a porta com estardalhaço, querendo de uma vez por todas ver o que havia por trás daquela porta.
Foi aí então que acordei com o sol entrando pela minha janela. E desse dia em diante, nunca mais sonhei com a casa. Tudo porque eu queria saber o que havia por trás daquela maldita porta, apesar de que, pelos indícios do sonho, não deveria ser coisa boa.
Talvez se eu não tivesse desperdiçado meu tempo de sonho tropeçando na escada, eu conseguiria descobrir o que havia naquele quarto antes de acordar.
A parte boa disso tudo, é que aprendi uma lição: na vida as coisas também são assim. Alguns tropeções podem evitar que seus sonhos se tornem um pesadelo por completo!

(In)Dignidade













Havia naquele choro, uma mágoa disfarçada
Entre silêncio forçado e palavras entupidas
Sobre memórias e pesares,
No que antes sobrepunha a vida.

Eu vi o frio que mata
Pobres almas enroladas em papelão
Numa noite horrenda
Jogados, como lixo pelo chão.

Vi ainda, os que poderiam ajudar
Autoridades que nada fizeram
Recolheram os corpos naquela manhã
E nenhuma palavra disseram.

Havia naquele choro, um implorar.
Um pedido de socorro abafado
Que a brisa gélida de um junho
Tornou-se o silêncio selado.

Não é sobre um cobertor
Nem sobre o que se fazer.
É apenas sobre pobres humanos
Que por direito mereciam viver.

domingo, 26 de junho de 2011

Senhores de nosso Destino













Eu não sei onde você está agora
E já nem sei se pode me ouvir.
Mais eu sinto que há vida lá fora
Tantas quantas eu posso sentir.

Algumas coisas devem acontecer
E não quero ser cético ao dizer
Que talvez o destino cometa erros
Que por algumas vezes, não os vemos.

Pode ser que você ache o caminho
E que as coisas se arrumem por si mesmas
Ou talvez seu coração se perca sozinho
Sem as dúvidas das próprias certezas.

Prefiro acreditar que somos senhores de nosso destino
Que somos nós, quem escolhe nosso caminho
Mesmo sem ter nenhuma convicção.

Eu vivo a minha vida, faço a minha história
Algumas vezes, sou lembrança, sou memória.
Pois quem me guia, é o coração.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Auto-Poema
















Não procure me entender
Na maioria dos dias
Eu só procuro viver
Sobre as minhas poesias.

Não que eu seja complicado
Só procuro amar do meu jeito
Só procuro ser amado
Sem ter que ser perfeito.

Um auto-poema
Que apenas represente
Esta alma tão terrena
Que por hora, apenas sente.

E naquela noite fria,
Manter forte as esperanças
E seguir em frente.

Se nas minhas poesias
Existe passado e lembranças
É porque elas ainda se fazem presentes.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Neste feriado, reserve alguns minutos para fazer o bem














No viver, corriqueiro do dia-a-dia,
Não percebemos a grandiosidade das coisas simples
E deixamos de ver os pequenos milagres
Que nos são ofertados todos os dias.
Agradecemos o feriado, fazemos festa, reunimos a família.
Mais continuamos a não olhar os milagres.
E não digo aqueles grandiosos, que são fáceis de se ver.
Mais sim aqueles pequenos, como o sorriso de uma criança,
Uma flor que nasce em meio às pedras,
Ou o apaixonado casal de idosos, sentados no banco da praça.
Se deixarmos de lado, por um minuto o nosso egocentrismo,
E pararmos de só pensar no que não nos pertence,
Veremos que a vida é um milagre contínuo.
É por esses momentos que os convido todos a celebrar.
Por essa paz de espírito, que hoje e sempre podemos aproveitar.
Sinta o sorriso dos pequenos, deixe seu amor nascer em terrenos remotos,
E viva o maior dos milagres que Deus nos deu.
A pura e simples capacidade de amar...

Neste feriado, reserve alguns minutos para fazer o bem.  O Site: www.doepalavras.com.br é uma forma simples de amar as pessoas. Não cobra nada, não exige grandes esforços e nem pede um grande sacrifício. Ele só pede que você doe algumas palavras de apoio para os pacientes em tratamento de Câncer do Instituto Mário Penna e outros hospitais. Acesse o site e participe deste gesto solidário. Suas palavras, valem muito para essas pessoas, e eu ficaria imensamente grato a todos que puderem ajudar!

Um Bom Feriado à Todos!
E que Deus ilumine sempre os passos de cada um de nós!

http://doepalavras.com.br

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Das Palavras. As não ditas


Tem dias, em que eu procuro pelo seu sorriso
Guardado a sete chaves na minha memória
Para tentar preencher este imenso vazio
De silêncios que viraram a nossa história.

Existem momentos, que sua falta me dói.
Seja dia, ou seja noite, as lembranças vem.
E aqui dentro de mim, há esse pesar
Por não poder amar mais ninguém.

Eu queria ter lhe dito tantas coisas
Naquele dia em que você partiu.
Mais as palavras, foram o silêncio
Que de minha boca saiu.

Não posso mudar o que passou.
Mais posso te prometer que haverá mais
Enquanto eu continuar te amando.

Sei que por mim, você também chorou.
Mais um dia eu serei capaz
De dizer as palavras que ficaram faltando...

terça-feira, 21 de junho de 2011

Uma Frase que define tudo...



















Eu procurei por palavras que,
Um dia fizeram sentido

Tentei buscar argumentos
E por diversas vezes até os encontrei

Apesar de que todas as palavras
Mesmo para um poeta, eram insuficientes,
Ou não tinham tanta verdade quanto esta única frase!

Soneto de Liberdade à Expressão
















Ruas desertas
Cidade perdida
Esquinas quietas
Vidas partidas.

Não decida
Nem conclua
Ideias mudam
Mais a opinião é sua

Qual decisão irá tomar?
Lutar? Ou correr?
Cidadão ou soldado?

Se você pode acreditar
Então não deve morrer
Sem ao menos ter tentado

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Porta que não se abre
















Existe uma porta
Que não leva a nada.
Uma passagem
De saída, ou chegada.

Um lugar.
Um caminho.
Um coração só.
E alguém sozinho.

Onde está a chave?
Como abro esta porta?
Talvez alguém sabe,
O que há por trás desta passagem morta

Trinca, tranca e arrebata.
Saudade, aperta, sufoca, mata.
E a porta que não se abre?

Coração cala, inquieto, indiscreto
O silêncio, mais que perfeito, perpétuo.
Pra onde vamos?  Ninguém sabe.

Descompassado Desabafo
















Enquanto uma lágrima cai dos meus olhos
Vejo refletido em mim todo esse amor.
Sinto tantas coisas, que há muito não sentia.
Olho pela janela, já é tarde, e a noite é escura.
Eu procuro por palavras. Só encontro as lágrimas.
Desde o dia em que partiu, eu jurei ser forte.
Mais às vezes sua ausência é bem maior.
E por você, mais uma vez, choro.
Eu só quero te trazer de volta.
Só quero te amar, apenas mais uma noite,
E por resto da minha vida.
Eu só quero você aqui comigo.
Eu só quero o impossível,
Acreditando poder torna-lo real.
Esta noite, mais uma vez, eu briguei com o tempo.
Pois ele sussurrava seu nome em meus ouvidos
E todo meu pensamento se estremeceu.
Talvez pelo peso da saudade, talvez, pelo peso dos erros.
Eu só queria tirar de mim essa agonia das palavras não ditas
Só queria, por uma noite, não ser silêncio.
E dizer-lhe, que apesar de dizer que estou bem,
Eu ainda sinto a sua falta.
E assim que um novo amanhecer chegar,
Vou olhar mais uma vez o horizonte.
Esperando pelo sonho
De te ver voltando pra casa...

domingo, 19 de junho de 2011

Entre solidão, lembranças e passado













Hoje a solidão veio me visitar.
Chegou assim, discreta.
Trazendo algumas lembranças
E uma história incerta.

Hoje, mais uma vez senti sua falta.
E eu já nem podia mais chorar
Pois as lágrimas da noite anterior,
Ainda precisavam secar

E eu queria uma nova história,
Um novo conto de fadas.
Algo em que eu pudesse repousar,
Sem o peso das coisas passadas.

E na melodia triste da noite
Num fim de semana findado,
Eu procurava por você
Dentro do meu passado.

Tentando entender
Como posso ainda te amar
Descobri que não há razão.

Eu ainda sei que vou sofrer
E por vezes até chorar,
Mais em mim, quem manda é o coração

sábado, 18 de junho de 2011

Sonho





















Esta noite eu sonhei com o amor de minha vida.
E ela usava um lindo vestido vermelho
E quando a manhã veio me despertar,
O sonho terminou com um beijo.

E por mais que tenha sido sonho
Acordei com um imenso sorriso no rosto.
Pois sempre é muito bom amar
Mesmo que seja um amor desses
Que a gente só pode sonhar!

Esta noite, vou adormecer
Mais uma vez esperando sua visita.
E quando o dia amanhecer
Sentirei de novo esta felicidade infinita.

Meus sonhos são as consequências
Das lembranças que não se apagam
E que vivem dentro de mim.

E um dia, seguirei essa essência
De sentimentos que não se acabam
E deste amor que não tem fim...

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Entregue as estrelas













Vão existir dias que levantar será difícil
E que as horas vão parecer não passar.
Vai haver momentos que sentirá falta,
De alguém por perto pra te amar.

E na distância, você olhará as estrelas.
Pedindo a elas que velem seu amor
Que guardem suas incertezas
E apague para sempre toda a dor.

E as estrelas cuidarão de sua amada
Como quem cuida de quem ama.
E todas as duvidas se apagarão
Reacendendo em você a velha chama.

Pois enquanto as estrelas brilharem
Seu amor será guardado
E você será amado

E enquanto os dias felizes não chegarem
Apenas olhe-as a brilhar
E se sentirá feliz, por poder amar...

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Poesias Imperfeitas













Nenhuma poesia nasce ao acaso
Elas já existem dentro de nós
E às vezes no silêncio se manifestam
Sem o auxílio de nossa voz.

Minha mente agora pensa
Um pensamento contingente
Sem a ausência das lembranças
Nem os desencontros do presente.

E sobre coisas sem sentido,
Minhas palavras foram saindo.
Ganhando ares,
E procurando olhares.

Numa vaga linha escrita
Havia sentimento e vida
Transpassada em poesia
De um poeta que há muito não vivia.

No amor, os versos se reencontram.
E descobrem um novo amanhecer.
Nenhuma poesia deve ser perfeita,
Elas só precisam acontecer.

Deixar os sentimentos falarem,
Até que nossas vozes se calem
E as palavras digam o que quiser.

E que os sentimentos ajustados
Não sejam fatos passados,
Nem lembranças de um coração sem fé.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Selo Sunshine Award




Esse belo Selo me foi oferecido pelo Querido Poeta Insano , do Blog 
Poetas Insanos, um blog de poesia simétrica, sempre ousando dos sentimentos e das emoções, e transformando em perfeita poesia toda a magia das letras, um blog  de sábias palavras e de muito bom gosto. Um poeta muito querido e participativo em nossa blogosfera.
Recomendo que confiram seu espaço.
(Agradeço de coração, insano!)


Então, vamos às Regras e aos Indicados:

1ª - Agradecer a quem lhe enviou
2ª - Escrever um post sobre ele
3ª - Mencionar no post os blogs selecionados
4ª - Avisá-los sobre o recebimento do mesmo




Obs: Indiquei 12 pessoas, quando na verdade queria indicar muitas outras,
mas como tudo tem suas regras...

Parabéns à todos os Indicados, Um abraço!

Fotografia
















Você olha aquela foto antiga
Tentando refazer o que passou
Mesmo sabendo que está terminado.
E que por tudo isso você já chorou.

E as lembranças da foto
Tornam-se visíveis agora.
Você não contém as lágrimas
E mais uma vez, chora.

E no seu lamento contínuo
Suas lágrimas escorrem.
E você lentamente as enxuga,
Mais as lembranças não somem

Você então se deita.
Tentando tirar da lembrança.
Aquela antiga foto
Tirada inda quando criança.

Não há saída, senão sonhar.
E na esperança acreditar
De como se era antigamente.

Pois o passado é como um retrato
Serve apenas pra ser lembrado
Nunca vivido novamente.


segunda-feira, 13 de junho de 2011

Feliz Aniversário Fernando Pessoa!


13 de junho de 1888. Está é uma data muito importante não só pra mim, mais para a literatura mundial. Foi exatamente nesta data há 123 anos atrás que nasceu o grandessíssimo poeta português Fernando Pessoa.
Não é de hoje que digo aqui neste blog que sou um fã apaixonado por Pessoa. Eu o admiro não só por seus belíssimos poemas, mais também por sua história, por sua trajetória de vida desde a infância em Lisboa, passando por  Durban na África do Sul e voltando à Portugal em 1905 por definitivo.
Este homem, foi um poeta como todos nós. Não teve uma vida fácil e nem sempre seus escritos foram lidos e aclamados pelo povo. Mais Pessoa nunca desistiu de escrever. Mesmo quando a vida lhe foi adversa, ele sempre procurou nas letras e palavras descompassadas, a melhor maneira de se sentir vivo.
A grande lição que este poeta nos dá, é que nunca devemos parar de criar. Sempre há uma inspiração. Sempre há um motivo, por mais irrelevante que ele possa parecer, devemos abrir nosso coração ao recanto místico onde dormem as palavras dentro de nós.
Um trecho por Fernando Pessoa publicado em Fevereiro de 1925 diz :
“Se depois de eu morrer, quiserem escrever a minha biografia,
Não há nada mais simples.
Tem só duas datas - a da minha nascença e a da minha morte.
Entre uma e outra todos os dias são meus.”

E é por isso que hoje estou comemorando. Pela data de nascença deste grande mestre que muito me ensinou sobre a vida, e sobre o quão belo é ser poeta.

Convido a todos que visitam este blog, que visitem o link:
para ler algumas de suas citações.

E o link:
Para conhecerem a biografia completa deste poeta que em minha humilde opinião, será sempre o melhor!

 







Mestre Fernando Pessoa, onde quer que esteja,
Desejo um Feliz Aniversário!

domingo, 12 de junho de 2011

Inconsistências
















Havia um revés
Numa amplitude descabida
E na lembrança
Havia vida.

Do desapego
Ao apego ampliado
Um coração falante
Que agora se vê calado

Pensamento leve
De descaso e reticências
E no peso das lembranças
Permanecem as inconsistências.

Aquilo que não se pode viver
É sempre pior de se esquecer
E mais fácil de lembrar

E ser for pra ser lembrado
Que não seja apagado
Nem se tenha medo de amar...

sábado, 11 de junho de 2011

Acredite no Amor


Não diga nada,
Apenas sinta.
Veja o quão leve pode-se sentir
E o quanto de você há nesse sentimento.
Deixe-se apenas ser levado.
Ser amado é sempre muito bom.
E numa nuvem de amores póstumos ponha-se a repousar.
Sobre algumas canções lentas e palavras em francês.
Você verá que seu sentimento é tudo que te sustenta.
E que nenhum outro momento, pode ser assim tão bom.
Não apenas sinta.
Viva.
Viva toda forma de amor.
Até algumas formas incertas, e casuais.
Viva paixões, e as entregue ao tempo um dia.
Deixe que o amor lhe mostre o caminho no fim da noite.
E que suas incertezas sejam substituídas
Por algum pequeno momento chamado sempre.
E no fim das contas, você verá que não foi perdido.
Que toda forma de amar, pode ser linda.
E que todo sentimento que se leva, valem mais que os momentos que se vivem.
E depois, sonhe um sonho belo.
E acredite que este sonho seja realidade.
Acredite no amor.
Acredite sempre, na sua capacidade de amar.
Pois ainda não se há notícias de amores e sonhos impossíveis.
E o mais importante de tudo, busque a felicidade nas coisas simples.
Não procure viver histórias de amor.
Só procure amar sem causa nenhuma, e sem espera de recompensa.
Seja feliz. Seja sorrisos. Seja o amor.
Seja um apaixonado pela vida.
E ela, irá lhe retribuir!

Aos apaixonados, um FELIZ DIA DOS NAMORADOS!


sexta-feira, 10 de junho de 2011

Uma Conversa com Deus...


Durante o dia, este homem sentiu falta da mulher de sua vida, e quando a noite chegou, depois de ter chorado pela sua falta, foi pedir explicações ao seu Deus:

“Meu pai, esta noite venho a ti, porque as lágrimas voltaram a escorrer em meus olhos. Venho a ti, porque não consigo compreender como pode planejar isto contra mim? Como pode me separar do amor de minha vida e me fazer vê-la com outro homem? Tu bem sabes que eu a amo. E que sou louco por ela. Tu sabes que é com ela que sonho todas as noites, que tenho planos, quero casar-me, ter filhos ao lado dela. Não senhor, realmente eu não consigo entender porque tu me separaste da mulher de minha vida. Espero que possa me explicar isso, pois dizem por aí que tu sempre tens um Porquê naquilo que faz. Desculpe-me senhor pela minha revolta esta noite, mais já estou cansado de sofrer longe da mulher de minha vida...”

Naquela noite, logo depois de sua oração, este homem caiu num sono profundo, e em seu sonho, o “Senhor Deus do alto céu”, foi até ele para uma conversa muito séria:

-Olá José. - Disse o senhor.
- Deus? Você está em meus sonhos? – Perguntou o homem confuso.
-Sim, estou. Fiquei um pouco magoado com sua oração, pois você questionou minhas decisões. Por isso resolvi vir até aqui, em seus sonhos para lhe explicar algumas coisas. – Disse Deus.
- Ora, e não era pra menos? O senhor me deixou longe da mulher de minha vida. E eu a vi com outro. Pode existir algum propósito nesse sofrimento?
- Olha aí você de novo me questionando... Vocês homens são tão tolos. Bom, vou começar a lhe explicar, mais quero que faça silêncio e me escute entendeu?
José fez que sim com a cabeça. E então Deus esticando as duas mãos para trás, começou a contar:
- Há alguns anos, eu planejei o seu futuro. Coloquei uma mulher perfeita em sua vida. Alguém que você já conhecia desde criança. Alguém que te fazia muito bem. Você crescia e continuava gostando dessa mulher. Mais enquanto o tempo ia passando, seu amor ia se desgastando. Pois ela sempre te amou , e com isso, você foi se acomodando.Você se casava com essa mulher e tinha filhos. Mais seu relacionamento estava começando a cair na monotonia. Você estava deixando de amar sua esposa e estava pensando em traí-la. E algum tempo depois, você a traiu. Sua mulher, agora era infeliz, e você estava levando sua família à destruição. Seus filhos agora te odiavam, e sua esposa estava com depressão. Foi aí que decidi mudar o rumo das coisas. Ser “Deus” tem esses privilégios.  Eu fiz com que essa mulher fosse embora ainda na adolescência.  Fiz que você a visse nos braços de outro. Porque isso despertou o amor verdadeiro em seu coração. Agora você sabe que ela é o amor da sua vida. E nunca vai deixar este amor se acabar. Porque você sabe a dor que é perde-la, pois agora eu já te fiz passar por isso uma vez.

O Homem, estava sem palavras. Não conseguia pensar em mais nada. Deus acabara de lhe explicar o porque o havia separado daquela mulher, ele precisou perde-la para entender que aquele era o amor de sua vida.
Ele ainda tinha muitas perguntas a fazer a Deus. Pensou em cada uma delas, e virou-se novamente para onde estava o senhor, mais o sol já estava nascendo, e Deus já havia voltado para o céu...

Moral da História: SEMPRE CONFIE EM DEUS!  Ele sempre sabe o que faz.

Carta para a mulher da minha vida...




















A mulher que eu amo, mora no sul. Eu costumo vê-la uma vez por ano. E ela costuma visitar meu blog todos os dias. Hoje, eu desliguei meu computador e fui me deitar, mais como não sei se vou estar aqui amanhã, resolvi voltar para frente do computador, e escrever. Nunca fui tão bom com as palavras, quanto sou com as letras. Não digo as palavras escritas. Digo as faladas mesmo.
Por causa das palavras faladas, eu perdi o amor da minha vida.
E Foram as palavras escritas deste blog que a trouxeram de volta.
Na realidade, sou muito grato a esta mulher, por ter me dado um amor tão forte e verdadeiro. Um amor pelo qual me apoio todos os dias quando me levanto de manhã e me vejo sozinho. Um amor, que mesmo na distância, me faz sentir feliz, só pela simples lembrança dos (Poucos) dias felizes que tive ao lado dessa pessoa tão especial.
 Amores, amores verdadeiros, só costumam acontecer uma vez na vida de pouquíssimas pessoas. E eu tive a sorte de encontrar esse amor ainda jovem. Tenho a vida inteira pra lutar por ele. Não por esse amor, pois o amor retribuído eu já tenho. Mais ainda  tenho que lutar para trazê-la de volta.
Um homem como eu, não costuma fazer planos para a vida inteira. Mais com ela em minha vida, tudo é diferente. Com ela, eu tenho o grande sonho de construir minha família, ter três filhas lindas e morrer bem velhinho ao lado dela. E de preferência, primeiro que ela, pois não suportaria a dor de vê-la partir de minha vida mais uma vez.
Este post, não é igual aos outros que costumo postar aqui. Este post é especial, pois é uma carta para a mulher da minha vida.
Não sei quando vou vê-la de novo.
Mais sei que ela estará aqui para ler esta mensagem.
E eu só queria que ela soubesse, que eu a amo. Não um amor imaginável, ou descrito com letras e palavras. Mais um amor daqueles que só podem ser sentidos, com o coração e o sentimento dos apaixonados.
Minha bela, linda e doce Margarida.
Um dia, eu volto pra te buscar.
Mais enquanto este dia não chegar, saiba que estarei sempre te amando, e deixando que tu me visites em meus sonhos.
Nossa história ainda não teve um final feliz.
Isso porque nossa história ainda está longe de chegar ao final.

Eu te amo.
Esta noite e sempre.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Minha Poesia













Minha poesia é controversa
Reversa, inventada ao contrário
Desfeita, repintada, recolocada.
É sentimento extraordinário.

Minha poesia é berrante, é fracasso.
É descaso revolucionário
É ausente, mais presente
De lembranças sem cenário.

Minha poesia é assim
Tão finita, quanto dita
É pedaço sem palavra
É a parte de mim, que sempre nunca se acaba.

Minha poesia não existe
É viver sem ter medo
É coração e sentimento
É verdade ,é segredo.

Minha poesia não canta
Mais espanta o fantasma
Não aquele que assusta
Mais aquele que atormenta a alma.

Minha poesia às vezes chora
E se cala sem motivo.
Me descubro, me levanto
Faz-me sentir vivo!

Nem sempre coerente
É assim a minha poesia,
Mais aqui – só entre nós-
E quem não é assim todo dia?

Lembranças
















Mais de dois anos se passaram. E eu ainda me lembro dos seus olhos azuis, que por diversas vezes você tentou me convencer que eram verdes, mais que eu sempre achei que eram azuis acinzentados.
Me lembro do toque da sua pele em minhas mãos, dizendo que me amava, mesmo quando nenhuma palavra era dita.
Me lembro do seu sorriso, e de como você mordiscava os lábios no canto da boca quando estava nervosa, ansiosa ou com vergonha.
Me lembro do brilho em seus olhos, quando eu os comparava com o brilho das estrelas. E me lembro que você ficava a olhar o céu, como se estivesse imaginando nosso amor eternizado naquela imensidão.
Me lembro de como você era chata quando criança, e de como eu te amei desde aqueles tempos. E quando se tornou mulher, me lembro que minhas pernas tremiam, todas as vezes que você estava por perto.
Me lembro da primeira vez que disse que te amava, sentados na cozinha da casa de nossa tia, me lembro que você não retribuiu meu “Eu te amo”, mais ficou a me olhar com um carinho que nenhuma palavra poderia me dar.
Me lembro do como eu tentava fazer nossos momentos juntos durarem para sempre, iniciando uma briga infinita contra o tempo e a razão. Eu te olhava, tentando eternizar a sua imagem, só pra ficar relembrando seu rosto  em todas as noites de sua ausência.
Me lembro das férias escolares, quando vivia sempre por perto, te fazendo juras de amor às escondidas, sentados na varanda da casa de sua avó.
Me lembro que quando sua avó estava por perto, eu ficava na casa ao lado, sentado na varanda fingindo ler o Código da Vinci, enquanto te olhava por sobre o livro, e te via ainda de pijama no sol da manhã com seus cabelos loiros reluzentes.
Me lembro das pessoas que lutaram por nosso amor, sempre arrumando um jeito de nos deixar sentados sozinhos na sala, e de como eu aproveitava esses momentos pra tentar te conquistar.
Me lembro do nosso primeiro beijo, naquele primeiro de janeiro, às escondidas no banheiro da casa de sua avó. Não era o lugar romântico que eu queria para um primeiro beijo, mais com você, um beijo tornava qualquer lugar romântico.
Me lembro que você foi embora pra um lugar distante, onde eu não pude arrumar desculpas, nem inconvenientes para me fazer sempre presente.
 Me lembro que eu chorei.
Me lembro que jurei nunca deixar de te amar, e que um dia, eu iria te buscar.
Hoje, mais de dois anos depois, eu sei por que nunca consegui te esquecer.
É que amores de verdade, mesmo quando se tornam ausentes, nunca deixam de existir.
Você me deu muito mais do que alguns dias felizes.
Me deu uma história de amor, que sempre vai durar a vida inteira em minhas lembranças.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

INFORME DO ADMINISTRADOR DO BLOG



 Á todos que acompanham este blog,  lamento informar, mais passerei um breve período de tempo, sem colocar postagens no blog, pois fui vítima de uma empresa de internet 3g sem vergonha e imoral que explora seus clientes com propagandas enganosas e faturas absurdas no final do mês. entrei em contato com eles e apesar de ficar mais de 4 horas na loja da empresa vivo de minha cidade, o problema não foi resolvido e nem tem previsão de quando seja.
Moro em zona rural, e isso dificulta bastante meu acesso a lan houses e tudo mais. É realmente uma pena ter acontecido esse problema, que nem vou relatar em detalhes, pois não convém aos leitores deste blog ficar perdendo o tempo de vocês lendo sobre meus problemas.`
Só resolvi publicar o informe, paraque aqueles que gostam de meus textos não se assustem com a minha ausência. Prometo sempre que puder atualizar o blog através de Lan Houses e espero que meu problema com a vivo seja resolvido em breve.

Peço desculpas a todos, e em breve voltarei, e aí retirarei esta postagem inútil assim q minha internet voltar ao normal. Por enquanto, vou seguir o conselho de minha amiga Denise do Blog Detalhes, que em seu post hoje nos convidou a deixar de lado a internet e ler um bom livro!

Uma boa noite e até breve!

OBSERVAÇÃO: Não acreditem que a internet 3G da vivo é ilimitada! é tudo uma mentira! eles limitam sua internet e ainda cortam o sinal 15 dias antes de enviarem o boleto bancário com o valor 15X maior do que o plano contratado!
Serviço e internet 3G é só se for igual ao meu caso, onde não há speed, nem GVT, nem NET. Pq o desrespeito com o cliente dessa operadora é sem tamanho!

sábado, 4 de junho de 2011

Bailarina Inquieta

















E a bailarina dançava
Alheia aos olhos do mundo
Seus pés flutuavam
Num triste padecer profundo

Na suavidade de sua dança
Inquietava os presentes
Com olhos ainda afoitos
E um sorriso descontente

Em movimentos ritmados
Entre saltos e piruetas
Abria os braços delicados
Como asas de borboletas

E na dança coreografada
Sua mente vagava
Em um breve amor distante

E nos passos já marcados
Seguia seu destino traçado
Com sua memória inquietante

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Dom Quixote - Engenheiros do Hawaii



 
Tem dias em que eu acordo, e não consigo tirar essa música da cabeça.
Tem dias em que eu também  me sinto vivendo  “Por amor as causas perdidas...”



Muito prazer, meu nome é otário
Vindo de outros tempos mas sempre no horário
Peixe fora d'água, borboletas no aquário
Muito prazer, meu nome é otário
Na ponta dos cascos e fora do páreo
Puro sangue, puxando carroça

Um prazer cada vez mais raro
Aerodinâmica num tanque de guerra,
Vaidades que a terra um dia há de comer.
"Ás" de Espadas fora do baralho
Grandes negócios, pequeno empresário.

Muito prazer me chamam de otário
Por amor às causas perdidas.

Tudo bem, até pode ser
Que os dragões sejam moinhos de vento
Tudo bem, seja o que for
Seja por amor às causas perdidas
Por amor às causas perdidas

Tudo bem... Até pode ser
Que os dragões sejam moinhos de vento
Muito prazer... Ao seu dispor
Se for por amor às causas perdidas
Por amor às causas perdidas

Ventos do Sul



Eu não me lembro daquele dia
Quando você partiu, só me lembro que chorei
E nas lágrimas que escorreram
Pude perceber o quanto te amei

Os ventos do sul
Te levaram pra longe de mim
Os anos se passaram
E eu ainda me sinto assim

A cada lembrança
A cada novo amanhecer
Ainda sinto que te amo
E que não deixei esse amor morrer

Continuo na esperança
Que os ventos mudem de direção
E que te tragam de volta ao meu coração

Enquanto isso, vivo nas lembranças
Esperando esse vendaval passar
Sem nunca deixar de te amar.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Amores de uma noite fria...



Em uma dessas noites frias, com a chegada de um junho tão igual a tantos outros, olho-te a repousar sobre a cama ainda desarrumada da noite anterior. Minha cabeça, que antes estava tão atarefada á pensar em coisas a se fazer, agora olha com desejo pra você. Te ver ali, diante de mim, até me faz esquecer os problemas por um breve período de tempo.  Fico me lembrando das noites anteriores, onde teu calor me esquentava até que um novo dia amanhecesse de novo no céu, e meu corpo remexe-se inquieto de desejos ao lembrar de seu toque macio sobre minha pele. Olho para o relógio, e percebo que já é tarde. Sinto-me ainda mais ansioso para te encontrar.  Desligo o computador com cuidado, apago as luzes e me deito sobre a cama repousando a cabeça no travesseiro, enquanto vou te puxando só pra mim. Em noites frias como esta, tu não sabes como te amo,
 meu cobertor  de veludo de invernos passados...