domingo, 20 de agosto de 2017

Uma verdade sobre mim

Ganhei carinhosamente o apelido de Sherlock por uma amiga: Elisangela
E inquestionavelmente há uma semelhança entre nós, descrita nessa frase do seriado: Sherlock :

SEMPRE SOBREVIVO ÀS QUEDAS.




Las falacias de mí mismo






















Entiendo que entenderme toma tiempo
No deseo ser contratiempo
Y sé que la inquietud es breve
Pero el pecho desea viejos amores
Pero creo que todo es vago
Que el abstracto
Y nos confunda
En los iluda
Con sus medios términos
Pero lo que ha de venir
Puede sostener
El peso del alma
Y mantener la calma
Que ya no habla tanto en nosotros
Estamos solos
Y todo es tan vago
Que no sé lo que ha de venir
No sé si bailo tango
O se apago las luces y voy a dormir

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Pra sempre
















Vivenciamos coisas boas
E a vida que ecoa
Emana bons momentos
Transborda sentimentos
E transpassa a alma
Nos tira a calma
No bom sentido
Por tudo aquilo já vivido
E o que há de vir
Com tudo aquilo que vamos sentir
Na intensidade do ser
E na alegria de viver
Estamos ainda longe de alcançar
O verdadeiro sentido de amar
Porque amor sempre é mais
É sempre capaz
De nos fazer seguir em frente
E às vezes a gente sente
Que dentre todos os amores
Um deles é pra sempre...

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Ansiedades















Às vezes o peso do mundo
Parece profundo
E nos afunda num mar
De inúmeras inseguranças
E um medo ímpar
De antigas lembranças
A vida é um eco sem fim
Que ecoa dentro de mim
Tudo aquilo que eu sinto
E às vezes eu minto
Que tudo está certo
Quando a ânsia dentro do peito
Desata a chorar
Talvez por não saber amar
Ou talvez por amar demais
No fim tanto faz
Porque dos meus erros cuido eu
E só eu sei o quanto me doeu
Aprender a viver sozinho
Mas eu ainda sigo meu caminho
Com apenas uma certeza absoluta:
Tudo muda...

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Palavras mal faladas



















As controvérsias das letras
Que dissimuladas
Mal faladas
Ou não ditas
Se tornam malditas
E coam dentro de nós
Nos sentimos sós
Por estarmos tão calados
E o silêncio é um fardo
Árduo
E cheio de inquietudes
Que escondem nossas virtudes
Em palavras que não soam
Só ecoam
Dentro do nosso ser
Mudando nossa forma de viver
Somos personagens
Meras paisagens
Num retrato
Abstrato
Que é a vida, de fato.