segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Outra ausência

Mais uma vez o poeta pede licença e pode se ausentar por uns tempos, mas desta vez é por uma "boa causa" 

Estarei dedicando meu tempo e minha escrita num novo projeto. Aqui no blog, poucos sabem, mas eu também escrevo contos de suspense e agora estou empenhado na construção do meu primeiro livro, um romance policial que já está ganhando forma. 
Então por hora, terei que deixar a paixão da poesia fluir apenas vez ou outra, até concluir meu projeto. Mas não deixarei o blog, estarei sempre aqui e sempre que a poesia me visitar. 



Por hora, deixo a sinopse do meu futuro livro e peço a torcida de todos que me acompanham para que meu sonho enfim se torne realidade.

De volta a cidade do Medo. 



Fred leva uma vida tranquila numa cidade do interior paulista, até que sua vida sofre um grande abalo. Após passar por uma tragédia e ter que lidar com a responsabilidade da culpa, ele decide deixar sua cidade natal e mudar-se para a capital, tentar recomeçar a vida longe das lembranças de seus erros
.
Sete anos se passa e ele é agora Frederico Machado, investigador da DHPP de São Paulo, mesmo atormentado pelas lembranças do passado ele consegue seguir sua vida solucionando homicídios e está prestes a ser delegado. Mas então uma ligação no meio da noite de um antigo amigo do passado muda tudo.
Na manhã seguinte, lê nos jornais que Murilo cometeu suicídio. O mesmo amigo que na noite anterior lhe fez uma ligação misteriosa e cheia de palavras que antes pareciam desconexas, mas que agora lhe dão apenas uma certeza, não fora suicídio. Seu amigo havia sido assassinado.
Fred então terá que voltar a cidade que lhe traz péssimas lembranças, uma cidade que lhe traz recordações que ele não quer relembrar. Mas é obrigado a enfrentar os fantasmas de seu passado para solucionar o assassinato de seu amigo.

Junto com outro velho amigo que agora é delegado, Fred e Edvaldo logo vão descobrir que a morte de Murilo foi apenas o começo. Outros eventos misteriosos vão colocar a sanidade de Fred a prova e ele terá que lidar com seus demônios pessoais, terá que remexer em velhas e doloridas lembranças na tentativa de capturar um misterioso assassino que parece ligado a seu passado e dedicado a vê-lo cada vez mais perdido em seus medos e tormentos.
E logo ele descobrirá que a vida de todos a sua volta correm um grande risco…

De volta a cidade do Medo é um romance policial que levará o leitor a uma enigmática caçada a um assassino misterioso e calculista, ao mesmo tempo em que despertará a curiosidade de seus leitores sobre o intrigante passado de seu protagonista cheio de lacunas e mistérios, é um livro que nos fará pensar até que ponto somos capazes de enfrentar nossos medos sem perder a sanidade.

LANÇAMENTO EM BREVE

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

A sombra do mundo

(Texto escrito em 2009)

















O mundo é um abismo.Um abismo imundo e insano onde os suicidas se jogam um a um cabeças abaixo.
Não precisamos tanto assim de sinceridade. Até porque a maioria delas só mostram um lado de duas opiniões E no fundo, sinceridade demais machuca.

Um belo dia desses eu vou acordar e o mundo inteiro estará mudo. E então as opiniões deles não significará mais nada para mim e para mais ninguém.
A vida na verdade é bem mais simples de se viver, se você souber lidar com ela. O fato é que nós fazemos a enorme questão de dificultá-la. Nós a complicamos de tal forma que por inúmeras vezes fica tão difícil continuar única e exclusivamente pelos caminhos que trilhamos em nossas mentes.
No fundo, tenho pena de minha sombra que não pode escolher seu próprio destino

Mas a grande verdade dessa vida é que todos nós somos iguais as nossas sombras. Vivemos dominados pelo mundo e por nossos medos. E são eles quem controlam nossos caminhos e muitas vezes trilham nosso futuro.

No fundo, nós somos a sombra do mundo. 

Águas da vida


















Incompreensível sentimento

Que não passa com o tempo
E aumenta mais a cada dia
Trazendo consigo sempre nova poesia

E a vida que passa sem pressa
Deixa mágoas ainda doloridas
Mas um dia, toda dor sempre cessa
E esquecemos as lágrimas sofridas

Corremos ao encontro do que nos faz bem
Deixando de lado tudo que nos faz mal
E sempre encontramos  em alguém
Algo que nos torne especial.

E mais dia, ou menos dia
A vida se renova
E se reinventa com certeza.

Talvez até nos traga alegria
Que sempre nos comprova
Que as águas da vida sempre seguem a correnteza...


quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Do seu jeito















Doravante fossemos apenas
Dezenas de incólumes sentidos
E os anseios que florescem
Fossem mais autênticos e vívidos.
Doravante a vida fosse menos intensa
E que nossa sentença
Fosse apenas morrer de felicidade
Mas a verdade
É que nem tudo é flores
Sofreremos algumas dores
Por causa de muitos amores
Amados pela metade.
Mas não perca sua boa vontade
De continuar caminhando
E amando
Viver a vida do seu jeito...

domingo, 20 de agosto de 2017

Uma verdade sobre mim

Ganhei carinhosamente o apelido de Sherlock por uma amiga: Elisangela
E inquestionavelmente há uma semelhança entre nós, descrita nessa frase do seriado: Sherlock :

SEMPRE SOBREVIVO ÀS QUEDAS.




Las falacias de mí mismo






















Entiendo que entenderme toma tiempo
No deseo ser contratiempo
Y sé que la inquietud es breve
Pero el pecho desea viejos amores
Pero creo que todo es vago
Que el abstracto
Y nos confunda
En los iluda
Con sus medios términos
Pero lo que ha de venir
Puede sostener
El peso del alma
Y mantener la calma
Que ya no habla tanto en nosotros
Estamos solos
Y todo es tan vago
Que no sé lo que ha de venir
No sé si bailo tango
O se apago las luces y voy a dormir

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Pra sempre
















Vivenciamos coisas boas
E a vida que ecoa
Emana bons momentos
Transborda sentimentos
E transpassa a alma
Nos tira a calma
No bom sentido
Por tudo aquilo já vivido
E o que há de vir
Com tudo aquilo que vamos sentir
Na intensidade do ser
E na alegria de viver
Estamos ainda longe de alcançar
O verdadeiro sentido de amar
Porque amor sempre é mais
É sempre capaz
De nos fazer seguir em frente
E às vezes a gente sente
Que dentre todos os amores
Um deles é pra sempre...

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Ansiedades















Às vezes o peso do mundo
Parece profundo
E nos afunda num mar
De inúmeras inseguranças
E um medo ímpar
De antigas lembranças
A vida é um eco sem fim
Que ecoa dentro de mim
Tudo aquilo que eu sinto
E às vezes eu minto
Que tudo está certo
Quando a ânsia dentro do peito
Desata a chorar
Talvez por não saber amar
Ou talvez por amar demais
No fim tanto faz
Porque dos meus erros cuido eu
E só eu sei o quanto me doeu
Aprender a viver sozinho
Mas eu ainda sigo meu caminho
Com apenas uma certeza absoluta:
Tudo muda...

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Palavras mal faladas



















As controvérsias das letras
Que dissimuladas
Mal faladas
Ou não ditas
Se tornam malditas
E coam dentro de nós
Nos sentimos sós
Por estarmos tão calados
E o silêncio é um fardo
Árduo
E cheio de inquietudes
Que escondem nossas virtudes
Em palavras que não soam
Só ecoam
Dentro do nosso ser
Mudando nossa forma de viver
Somos personagens
Meras paisagens
Num retrato
Abstrato
Que é a vida, de fato. 

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Vivências
















O que na vida não vale
É viver com medo
Sofrer em segredo
E se fechar em si mesmo
Todos temos defeitos
Mas é besteira chorar arrependido
Por tudo aquilo que foi vivido
Sabendo que ainda há muito mais por vir
Com tantos outros motivos pra sorrir
E coisas novas a se descobrir
Não pense tanto nas coisas que passou
Nem reviva as lágrimas que chorou
Veja que há um novo mundo lá fora
Pronto pra ser vivido agora
Sem mais demora
Veja que a vida é linda
E que vale a pena ser vivida
Com intensidade
E de verdade
Não viva por viver
Seja quem você realmente quer ser
E seja!
Veja
Que tudo nessa vida vale a pena
Se sua alma não for pequena. 

Inquietudes Mudas
















A inquietude das falácias
E todas as expressões das palavras
Leves voam longe
E como pontes
Ligam pessoas, coisas e lugares
fazem da alma seus novos lares
E deixam o grito surdo
Que ecoa num peito ainda mudo
As mudanças que hão de vir
E as esperanças que podem ressurgir
Sem um aviso tangente
Tem tanta coisa que a gente sente
Mas quase sempre
Se cala
Mas o pensamento fala
E fala bem alto
Que o que se sente de fato
É que as inquietudes doem
E os sonhos se desconstroem
Pelo medo reprimido
Num peito abatido
Que precisa a qualquer custo gritar
Que mesmo em silêncio
Ele nunca vai deixar de amar...

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Tempo
















O tempo
Leve como o vento
Leva as dores
Nos traz novos amores
O tempo
Que já não temos
É passado
Foi deixado
Pra sempre guardado
Dentro de nós
Mas nunca estamos sós
Enquanto houver lembrança
O tempo leva tudo
Menos a esperança
De dias melhores
E que o tempo traga
Aquilo que nos agrada
E que nos mude
Que acabe com as inquietudes
E nos faça parar de chorar
Que o tempo nos ensine a amar
De novo, de novo e mais uma vez
E que talvez
O tempo nos traga de volta
Aquele amor que pensamos ter morrido
Mas que permanece vivo
Dentro de nós.

Mudanças II





















Caminhos tortos, andei.
Lágrimas derramei
Mas nunca parei de sonhar
E nunca deixei de amar

Alguns erros cometi
E por eles sofri
Mas não deixei me abater
Nunca perdi a vontade de viver

Aprendi novos caminhos
E descobri que nunca estamos sozinhos
E que sempre temos com quem contar
Mesmo quando seja difícil acreditar

Fiz versos simples, mas verdadeiros
Aprendi a me amar por inteiro
E não parar de lutar nunca
Porque no fim, a vida sempre muda

E o que antes era só escuridão
Se transforma em paz no coração
E a gente entende que a vida é uma continuidade
E é se levantando dos tombos, que se vive de verdade

domingo, 6 de agosto de 2017

Mudanças















O emaranhado de sentimentos
Que bagunça o pensamento
E distorce a teoria dos fatos
Modificam sutilmente os atos

E na bagunça que se torna os sentidos
Nos tornam ainda mais vivos
E dispostos a novas decisões
E aceitamos nossas inquietações

Porque a beleza do ser está no desconhecido
É assim que nos tornamos vivos
E dispostos a mudar

É na mudança do ser
Que mudamos nossa forma de viver
E aprendemos o que é amar...

Nunca é tarde para amar
















Havia em si o peso do mundo
E o olhar profundo
De algumas noites mal dormidas
E outras tantas bem vividas
E questionava-se por suas inquietudes
Uma parte de si, exigia mais amplitude
Queria alçar voos mais altos
Partiu pra vida em um novo salto
Saltou e foi.
Pra longe de si mesmo e se perdeu
A chama alta do seu ser, enfim ardeu.
E resplandeceu.
Uma alvorada de novos erros
Que ele perseguiu com muito aferro
Até finalmente encontrar
Depois de tanto chorar
Tinha ele alguém pra amar
E no amargo gosto que sentia
Ele se via
Como alguém que se desviou
E voltou
Por um novo amor
Mas principalmente por si mesmo
Porque cansou de viver à esmo
E encontrou no sorriso de alguém sua morada
E tirou da alma empoeirada
Aquele sentimento de mudança
Que ele acreditava ser apenas uma lembrança
De que ele tinha muito a sonhar
E que nunca
É tarde pra amar...

Sobre o tempo




















O tempo
Que às vezes passa depressa
E às vezes passa com calma
Cuida daquilo que trazemos na alma
E nos conforta
Ou às vezes nos afronta
Com sua instabilidade
O tempo traz a liberdade
Mas também tem o dom de nos tirar
Tudo aquilo que viemos um dia a acreditar
Ser pra sempre.
E descobrimos que o pra sempre é nada pro tempo.
Um espaço tão leve que pode ser levado pelo vento.
E nunca mais voltar
Mas que nunca deixemos de acreditar
Que tudo tem seu tempo certo
E que nenhum fato é concreto.
E que tudo muda.
Talvez hoje faça sol
Ou quem sabe faça chuva
Nunca tenha sua certeza imposta
Porque pra cada coisa dessa vida
Só o tempo tem a verdadeira resposta 

sábado, 5 de agosto de 2017

Mensageiro























Quando o pensamento se esvai
E a gente cai
Tudo parece enfim acabado
Nosso rumo sentenciado
E o coração quebrado
Mas nem tudo está perdido
E o ego ferido
Aprende a se reerguer
E volta de novo a viver
E tentar acertar
Ou pelo menos voltar a acreditar
Que tudo nessa vida é passageiro
E que todo erro é mensageiro
Pra nos ensinar
E nos fazer pensar
Nos erros cometidos
E em tudo que já foi vivido
E que ainda tem tudo pra dar certo
Se nos entregarmos por completo
Aos desafios que ainda estão por vir
E suportar as lágrimas que ainda vão cair
Antes que a gente possa enfim,
voltar a sorrir...

Distância














Entre dois pontos distantes
Há dois corações unidos
Onde nada pode apagar
Os bons momentos vividos

E a distância por maior que seja
Jamais tem a força de apagar
Dois corações que se amam
E nasceram pra se amar

A distância queima, magoa e machuca
Mas também nos ajuda
A ser mais fortes a cada dia
E transformar cada gota de saudade em poesia

A distância faz ao amor
Algumas pequenas maldades
Mas ela nunca tem o poder
De apagar um amor de verdade 

Sobre nós























De todas as pessoas nesse mundo
Foi você quem teve meu amor mais profundo
E nas inconsistência do meu ser
Fiz morada no teu peito e fui viver
Algumas vezes na minha vida, me deparei com certos amores
E todos eles de alguma forma, terminavam em dores
Mas com você eu só vejo flores
Fazendo do meu peito um imenso jardim
E é tanto amor, que já não cabe em mim.
Vaza pelos poros, Desce pelas mãos e viram poesia
Foi você quem trouxe luz de novo pro meu dia
E me fez entender quem eu sou de verdade
E encontrar no teu abraço a minha felicidade.
E mesmo que a distância insista em nos atrapalhar
Mesmo que o tempo do mundo tente nos derrubar
Eu juro que eu nunca vou deixar de te amar
E apesar de não saber o que vai ser de nós no futuro
Você será sempre meu porto seguro
Aquela que me aturou nos dias complicados
E sempre me fez sentir-me muito amado
Aquela que segurou minha mão, quando todo mundo me largou
De todas as pessoas do mundo, foi você quem mais me amou
E eu vou fazer tudo diferente, no que depender de mim
Pra te provar, com gestos e atitudes, que não chegou ao fim
E que nós, já não estamos mais tão sós.
O que antes era eu e você, agora seremos NÓS...




Dedicada à Caroline

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Poesia em Imagem


Chegada


















Algumas coisas na vida
Você tem certeza que é pra vida inteira
Você pode viver muitos amores
Mas só uma paixão verdadeira

Você não sabe quando ela vai acontecer
E nem tem o direito de saber
Porque o bom da vida é as incertezas
É nela que se escondem todas as belezas

Apenas viva a vida leve
Sem pressa e com um pouco de calma
Quando o amor chegar
Você vai sentir uma paz na alma

E saberá que aquele amor chegou
E que de fato é amor
Daqueles bem arrebatador
E que jamais irão lhe causar dor

Porque um dia ele sempre chega
Mais cedo ou mais tarde
Ele só chega sem alarde
Faz morada em nosso peito, e então sossega.

Sobre ela

Poesia em homenagem à Caroline 





















Ela sentia um peso na alma
E o coração ainda gritava
Que o amava
Com toda força de sempre
E o coração nunca mente
O que a gente sente.
Ela tentou fugir
Tentou resistir
Tentou não existir
E no fim se deu por vencida
Ele era o amor de sua vida
Mesmo com todos os erros sofridos
Mesmo com o coração partido
Ela não conseguia o esquecer
Ela sentia a necessidade de viver
Naqueles momentos dos dois
E deixar todo resto pra depois
Passar horas com ele conversando
E lembrar dos dois caminhando
Numa tarde quente de julho, iluminada pelo sol
Mesmo com todos os erros, ele era seu farol
Que a fazia acreditar
Que os bons tempos voltariam a chegar
E que toda dor ia passar
E que os dois ainda poderiam se amar
E de tanto ela sonhar
Um belo dia ele voltou
E ficou.
E tudo voltou a ser claridade.
Eles puderam enfim
Viver um amor de verdade... 

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Partida

















Disse tudo que havia pra ser dito
E com o coração partido
Foi-se embora
Viver a vida lá fora

Numa despedida ainda aos prantos
Deixou espalhada por todos os cantos
Lembranças de momentos bons
E o céu ficou escuro cheio de novos tons

O dia se tornou mais cinza e escuro
A luz já não entrava pelas frestas do muro
E a casa se inundou em melancolia
Era ali, a despedida da alegria.

E a vida seguiu seu curso
O mundo rumou em seu fluxo
E ele partiu e foi embora

Era um dia frio de julho
E o coração no peito fazia barulho
E havia um pouco de chuva lá fora. 

Escritos Desvairados III

















Quando o canto não cantar
Quando a roda não girar
Quando a fala não falar
Haverá voz e verso
Poemas incertos
E desatinos
Desatados
Quando o vento não soprar
Quando o tempo não parar
Quando o pássaro não cantar
Haverá voz e verso
Poemas concretos
E caminhos entrelaçados
Em alguns Escritos Desvairados ...

Poesia em Imagem


Si mesmo















Quebre a si mesmo
Seus paradigmas
Dogmas e doutrinas
Quebre as amarras
Mostre suas garras
E vá a luta
Acredite que tudo muda
Se você mudar
Se você amar
Se você lutar
Seja forte
Desafie a própria morte
E encare
Não pare
Nos desafios que ainda estão por vir
E se o medo persistir
Vá com medo e tudo
Enfrente o mundo
Dê a cara a tapa
Vença, etapa por etapa.
E não se acovarde
Mantenha-se sempre alarde 
E os olhos atentos
Vença seus contentos
Vá além dos seus conceitos
E no fim você verá
Você sentirá
O gosto do que é a vitória
Você terá conquistado a glória
E chegado em fim,
A si mesmo... 

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

#APoesiaPrevalece











Houve silêncios
Houve devaneios
Houve desabafos
E muitas verdades
Houve desafios
Houve desatinos
Houve solidões
E algumas paixões
E hoje é um novo dia
Onde habita a poesia
E todo resto a gente esquece
Porque no fim
A Poesia prevalece

Quadro

Delimita-se o ser
A ser o que é programado
Ensinam-lhe o amor
E o que deve ser amado
Refazem o pensamento
E o lançam ao vento
Pra ser o que não é.
Estipulam-se padrões
Insinuam paixões
E segue a vida às avessas
O mundo passa sem pressa
E finge que não vê
Que o ser humano é manipulado
É dissimulado
E emoldurado
Por fim pendurado
Como um velho quadro
Pintado em preto e branco. 

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Poesia em imagem

Versos dedicados à Caroline

Reflexões das Incontinuidades
















Se você não vive o suficiente
Pra cometer erros
Então você vive uma sucessão de "nadas"
Porque é nos erros
Que se encontram as descobertas
Do que é viver plenamente
Sem a demagogia dos fatos firmes
Mas com a ideologia simples
De que somos humanos
Se você nunca cometeu erros, meu caro
Você ainda tem muito o que aprender
Mas se já os cometeu
E aprendeu com eles
Então você não precisa de um tutorial
Nem de um manual
Pra aprender a vida
Vá lá fora e simplesmente viva
Há tanto ainda a se viver
E tantos mais pra se errar
Que é bobagem lamentar
Pelo que já passou.
A vida é uma continuidade
Ela sempre continua.
Sempre.