quinta-feira, 30 de junho de 2011

Piano sem pianista












Estranhos dançavam
Ao som de um piano triste.
Numa estranha manhã
Em algum lugar que não existe

E a sinfonia tocada
Ressoada pelos cantos
De um salão cinza
Sobre olhares e espantos.

Naquele som sem sentido
De melodias descompassadas
O piano tocava sozinho
Suas histórias desencontradas

Aquela era a trilha sonora
De uma vida, sobreposta
Aos pequenos erros seus.

E o piano que tocava
Era o coração que já amava
Sem o pianista, que era eu

10 comentários:

  1. LINDO SONETO...NO AMOR NEM SEMPRE SO ENCONTROS..AS VEZES DESENCONTROS.

    UM BJ..
    MA

    ResponderExcluir
  2. Dancei nas tuas linhas
    Um grande bj querido amigo

    ResponderExcluir
  3. oi Canata!!
    :)
    suas palavras formaram uma bela melodia...
    grande beijo.

    ResponderExcluir
  4. Muito legal! Melódico!
    Gostei muito de seu blogue.

    Abração.

    ResponderExcluir
  5. Olá Canata!

    Muito boa essa canção silenciosa,
    tocada por um instrumento que
    expõe tão bem essa melodia leve.
    O Piano/Caneta - Piano/Papel
    São poesias por sí só.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  6. Ótimo poema Canata e lindo.
    "E o piano que tocava
    Era o coração que já amava
    Sem o pianista, que era eu"
    Adorei o poema todo,mas esse trecho em especial me encantou.
    Lindo...boa noite,abraço

    ResponderExcluir
  7. Adorei esse trabalho (minha cria tá aqui, adorando junto...) onde o eu-lirico se tornou parte da poesia sendo o astro dela... genial, parabéns!

    bjsss das duas...

    Cat

    ResponderExcluir
  8. Que lindo, daria uma bela canção.

    ResponderExcluir
  9. Gostei da poética musical. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  10. Selinhooo!
    Passa lá...
    Regra simples: Fale do blog que te presenteou e indique seus preferidos!

    ResponderExcluir