terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Hipócritas















Hipocrisia
A Apologia
Do demagogismo do ser
Faz o peito arder
de quem ainda num mundo ferrado
Faz versos um tanto descompassados
Para se sentir aliviado
Mas é um fardo
Ser poeta num tempo de banalidades
Onde a obscenidade virou casualidade
E o lado errado
Já foi implantado
E vive acomodado
Num ser que se tornou retardado.
Não se questiona nem se indaga mais
Violência, corrupção, preconceito. Tanto faz.
[Não é comigo, eles que se resolvam
Vivo minha vida, eles que se fodam]
Por essas mentes podres que não pensam direito
Que o mundo perdeu o respeito
E já nem sei se há mais jeito
Seja causa ou efeito
 A gente finge que tá tudo bem
Vai a igreja aos domingos e diz amém
Num gesto vazio que só comprova a teoria
O mundo de hoje
Enfim matou a poesia. 

sábado, 25 de novembro de 2017

TER O SONHO DE SER ESCRITOR, NÃO É COISA FÁCIL!

Primeiro que escrever não é fácil. Tem gente que peleja a vida toda pra conseguir fazer aquelas redações de trinta linhas que caem em uma prova e a língua portuguesa em si é toda cheia de regras e coisas que de certa forma fazem a grande maioria desistir por "não saber a diferença entre verbo transitivo direto e indireto" 
Mas às vezes você se sente bem quando escreve, do seu jeito. Todo errado com as normas, usa vírgula demais, esquece de alguns pronomes e nem sabe a diferença entre "Perca ou Perda".
Mas mesmo assim você continua, porque te faz bem escrever.
Às vezes, faz tão bem que você se pega escrevendo histórias de três folhas naquele seu caderninho guardado no fundo da gaveta. Você as lê uma vez ou outra e pensa: Poxa vida, eu acho que eu quero ser escritor um dia.
Duas horas depois relê o que escreveu e pensa: "Mas que porcaria de texto! Vou jogar isso fora!" Mas alguma coisa te impede de rasgar aquele texto mal (bem) escrito do caderninho e ele fica ali.
Você insiste. Começa a ler mais, porque sim, lendo você amplia sua mente e fica fascinado com seu autor preferido, com o jeito como ele consegue escrever e que, na sua cabeça as palavras dele ganham vida e é como se você pudesse sentir a história que ele escreveu. Seu sonho de ser escritor se reaviva dentro de você.
Os anos passam. Você evolui. Agora ao invés de um caderninho, você tem vários deles e sua escrita começa a melhorar apesar de você ainda achar um lixo.
Mais um pouco de tempo se passa e você então tem uma ideia, de súbito. Tá lá, caminhando na esquina pra ir comprar pão pro café da tarde e tem uma ideia. Algo nasce em você. Uma história. Uma história que você sente vontade de escrever sobre ela.
Chega em casa e depois de tomar o café da tarde, pega um caderno novo e começa a escrever sobre essa história. Hum, parece ser boa. Sim, você sente a história e começa a passar ela para o papel.
Aí sim, você acredita que quer ser escritor.
mas ledo engano meu caro, se pensa que as coisas vão começar a funcionar.
Escrever leva tempo antes de tudo. Você pode escrever cinquenta palavras por minuto ou escrever quinhentas. Tanto faz. Escrever leva tempo. Você trabalha, estuda, namora, pratica esportes, dorme. E no meio disso tudo, você ainda tenta escrever sempre que pode.
Em certo momento, vai se abrir com alguém e contar que sonha em ser escritor. A primeira reação da outra pessoa é a de incentivo. Mas vai ler seu texto e no primeiro erro ortográfico, ela vai (se for sincera) dizer que é melhor você ir com calma, que ser escritor é coisa complicada. De fato é.
Você vai se desanimar e vai guardar essa história junto com as outras, que agora já estão numa caixa porque não cabem mais na gaveta.
Sua vida continua e uma hora, você tropeça nessa caixa sem querer e relê a história. No mesmo instante, você se recorda da história toda na sua cabeça que você ainda não terminou de escrever. Volta, corrige os erros que pode (alguns vão passar mesmo assim) e retoma a história. "Parece estar boa"
você pensa consigo mesmo. E então, lá vem o sonho de ser escritor de novo em sua mente. Você procura alguém que entende de livros e mostra sua história. Essa pessoa te diz que ela é boa, que pode ser melhorada, mas é boa. Você retoma a auto estima e passa a se dedicar pra que você enfim, seja um escritor.
Parece que tudo vai dar certo, finalmente.
Errado.
Lembra que eu escrevi ali em cima que "escrever leva tempo?" Seu tempo já está organizado e você não se preparou para ter um tempo para escrever. As pessoas a sua volta não vão te entender. Vão te falar que você está perdendo tempo da sua vida se dedicando a alguma coisa que não tem futuro.
Sua família, seus amigos e até sua namorada, vão dizer que você gasta seu tempo com uma coisa "sem futuro" e é aí que realmente a gente vai saber se você é escritor ou não. Não é quando seu livro sair bonitinho, todo diagramado, revisado profissionalmente (porque você vai escrever muita coisa errada e existem pessoas que vão corrigir isso pra você, mas você ainda não sabe) quando ele tiver uma capa bonita e tiver forma, com um título e seu nome escrito nela. Não, não é aí que você se torna um escritor.
Você se torna um escritor, quando, nesse momento da sua vida, onde todo mundo a sua volta diz que você está "perdendo tempo com algo que não vale a pena" você decide optar pelo SIM. Opta por continuar a escrever.
Vão te chamar de antissocial, de vagabundo, de uma infinidade de coisas que você vai ter que ouvir calado.
Vai escutar sua mãe dizendo que você só fica na frente do computador e "não faz nada" Vai escutar sua família falando que você não passa tempo suficiente com eles, sua namorada vai te dizer que você não está dando atenção suficiente a ela. E tudo isso, porque você decidiu que quer ser escritor.
Você vai acordar no meio da madrugada e alterar dois capítulos inteiros só porque teve um sonho tão bom, que decidiu mudar a história, vai começar a dormir um pouco menos e se dedicar um pouco mais.
Vai escrever trinta páginas por dia, bem diferente de quando você escrevia três por semana e aí, SÓ AÍ. Algumas pessoas vão começar a te dar valor.
Você vai mostrar o que escreveu para algumas pessoas e finalmente vai ouvir um "Nossa, parece bom! Quero saber como termina" E aí meu caro, aí então, você JÁ É UM ESCRITOR.
Mas quem decide como termina, é você, afinal, essa é a sua história, não a minha...

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

A lenda das canetas



Reza a lenda que
Uma caneta, tem nela
O poder de contar histórias
Criar mundos e fazer versos
E que, em mãos que saibam de seu valor
Viram uma espécie de varinha mágica
Capazes até de mudar o mundo
Uma simples caneta
Pode ser um objeto místico
Capaz de tantas coisas
Que ainda que o homem mais sábio,
Possuísse todas as canetas do mundo, 
Ainda sobraria muitas coisas boas
A serem escritas
E transmitidas 
À um mundo tão
Cheio de caos
E vazio de sonhos simples...

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

De volta à Cidade do Medo (Capítulos disponíveis no Wattpad)

O primeiro romance policial do autor deste blog: F.H.Canata agora está com seus primeiros capítulos disponível GRATUITAMENTE  no Wattpad 




Um Romance Policial que promete te intrigar do início ao fim!

Sinopse:
Fred leva uma vida tranquila numa cidade do interior paulista, até que sua vida sofre um grande abalo. Após passar por uma tragédia e ter que lidar com a responsabilidade da culpa, ele decide deixar sua cidade natal e mudar-se para a capital, tentar recomeçar a vida longe das lembranças de seus erros
.
Sete anos se passa e ele é agora Frederico Machado, investigador da DHPP de São Paulo, mesmo atormentado pelas lembranças do passado ele consegue seguir sua vida solucionando homicídios e está prestes a ser delegado. Mas então uma ligação no meio da noite de um antigo amigo do passado muda tudo.
Na manhã seguinte, lê nos jornais que Murilo cometeu suicídio. O mesmo amigo que na noite anterior lhe fez uma ligação misteriosa e cheia de palavras que antes pareciam desconexas, mas que agora lhe dão apenas uma certeza, não fora suicídio. Seu amigo havia sido assassinado.
Fred então terá que voltar a cidade que lhe traz péssimas lembranças, uma cidade que lhe traz recordações que ele não quer relembrar. Mas é obrigado a enfrentar os fantasmas de seu passado para solucionar o assassinato de seu amigo.
Junto com outro velho amigo que agora é delegado, Fred e Edvaldo logo vão descobrir que a morte de Murilo foi apenas o começo. Outros eventos misteriosos vão colocar a sanidade de Fred a prova e ele terá que lidar com seus demônios pessoais, terá que remexer em velhas e doloridas lembranças na tentativa de capturar um misterioso assassino que parece ligado a seu passado e dedicado a vê-lo cada vez mais perdido em seus medos e tormentos.
E logo ele descobrirá que a vida de todos a sua volta correm um grande risco…

De volta a cidade do Medo é um romance policial que levará o leitor a uma enigmática caçada a um assassino misterioso e calculista, ao mesmo tempo em que despertará a curiosidade de seus leitores sobre o intrigante passado de seu protagonista cheio de lacunas e mistérios, é um livro que nos fará pensar até que ponto somos capazes de enfrentar nossos medos sem perder a sanidade.

sábado, 11 de novembro de 2017

Contemplador do Universo














Olhava o céu, esperando
Que s nuvens escuras
Fossem se dissipando
E levassem com ela as amarguras

Passava horas olhando estrelas
Imaginando ser tão pequeno
Vivendo emoções tão verdadeiras
Em seu simples viver manso e sereno

De manhã via o brilho do sol raiar
E a noite contemplava a lua como um amante.
Esperava paciente, de novo voltar a mar
Como um dia amou antes

E o céu era um espelho
Que refletia seu mundo inteiro
Em toda sua vasta extensão.

E ele era só um contemplador do universo
Querendo um amor mais concreto
Pra acalmar seu gigante coração.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

E de novo, a bailarina

















Pisava em passos leves
A bailarina inquieta
E com movimentos breves
Ao dançar sentia-se completa.

Refugiando-se em sua dança
Fazia reverberar uma risada discreta
Recuperando aos poucos sua confiança
Porém ainda nem tão feliz e completa.

Bailarina persistente
Se faz valente
E permanece dançando.

Apesar dos sofrimentos
Não desiste fácil de seus pensamentos
E ainda continua sempre se amando...


sábado, 4 de novembro de 2017

Retrato mal emoldurado
























Falam-se, as inquietudes mal faladas
Num jogo de palavras
Desprovido de memória.
Antes apego, hoje história.
E fica-se no gosto da lembrança penuriosa
Como numa tarde chuvosa,
A sensação de frio.
E o vazio.
Onde antes bombeava as artérias
Hoje é só misérias
Em falsos relatos
E nem os retratos
Ficaram intactos.
Todos posto pra fora
Como se quem chora
Fosse o motivo do choro alheio.
E o poeta então, fica só em seu devaneio
Já que das fotos, não sobraram nem molduras
Ele faz poesias duras
Falando às vezes de amarguras
Que carrega no próprio peito.
Aprendeu que suas palavras tem efeito
E que sua poesia sem jeito
É a única a confiar nele, depois de tanto ter errado.
E antes ser um poeta fracassado
Do que nunca ter tentado
E ser só mais um retrato mal emoldurado. 

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Pontes Indestrutíveis - CBJr

(Letra: Pontes Indestrutíveis - Charlie Brown Jr.)
[...] Viver, viver e ser livre,
Saber dar valor para as coisas mais simples
Só o amor constrói pontes indestrutíveis

"O que se Leva dessa Vida é o que se vive, o que se faz!"

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Poetas de rua






















Na rua
Nua.
Poesia pichada em muros
Reverbera vários sussurros
De periferias esquecidas
Entre tiros e feridas
Faz da vida sofrida
Um eco urbano
De um ser humano
Que quer voz e verso
Quer ser o inerso
Do que é imposto
E eu aposto
Que nos subúrbios violentos
Também há poetas sempre atentos
A espalhar a poesia
No caos do dia a dia
E fazer dos muros, suas pontes
Transmitindo poesias aos montes
As pessoas sem liberdade
Que nunca vivem a intensidade
E talvez nem saibam amar
Como amam os poetas de rua
Que fazem questão de gritar
As poesias que de certa forma, são só suas...



quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Poesias que ninguém vai ler


















De folhas em branco

Eu me desatei em pranto
E fiz palavras saírem sem querer
Na vã esperança de não sofrer
Porque palavras rimadas
Fazem bem a minh'alma
Toda bagunçada.
E nem toda poesia tem que ser bonita
Mas precisa ser sentida
Por quem a escreve
E que ela nos deixe leve
E nos dê coragem pra seguir adiante
E viver sem os medos de antes
Fazendo versos bobos
O desabafo de um tolo
Mas de coração belo
E de sorriso sincero
E a folha, que agora é um amontoado de letras
Transmitiu o sentimento para caneta
Deu voz a um mero poeta
Que agora volta a viver a vida
E  poxa, como ela parece mais bonita!
Esse é o efeito dos versos escritos
Que por vezes, ouve meus gritos
E me puxa a orelha pra ir com calma
Poetas também tem alma
E às vezes ele desabafa ao escrever
Poesias que ninguém vai ler.

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Sobre Metas















Vivemos os dias pensando
Gastamos tempo imaginando
Fazemos metas e seguimos planos
E às vezes nos esquecemos que somos humanos

Tem todo mundo gira ao nosso redor
E às vezes temos que supor
Que nem tudo será como a gente quer
E devemos estar preparados pro que vier

Errar também é uma coisa normal
Somos humanos afinal
Os dias nem sempre são perfeitos
Assuma-se como uma pessoa com seus defeitos

Tenha sim seus sonhos e metas
Mas não faça delas, coisas tão concretsa
Isso evita muitas decepções
E ameniza muito os corações

Apenas viva de forma plena
Encare tudo de forma mais serena
E viva sempre com base na alegria
É ela afinal, que faz todo bem ao nosso dia...

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Ponto


















Às vezes a gente usa ponto
Mas não sabe se é final.
Não sabe afinal
O quanto
Ou tanto
Um ponto é fato.
Mas é ato, óbvio
Que significa o efeito
Do peito
Mas é fato também
Que um ponto vai além
De tudo aquilo que se sente.
Tem ponto que mente
Dizendo que é reticência
Quando na verdade
Já perdeu a essência
De si mesmo.
E é infinito
Um ponto ou o mito
Faz verso ou frase
Mas nunca é crase 
Que dá voz ao que é escrito
E sendo assim
Nunca põe fim
No que sente os corações
O ponto é ponto e pronto.
Mas nunca delimita nossas emoções.

domingo, 22 de outubro de 2017

Erros e Acertos
















Pairava sobre si mesmo o peso dos erros
Mas tinha ele que ser perfeito?
Todos temos nossos erros e defeitos
E nos permitimos errar
Mesmo que alguns erros não se possa consertar
O que devemos mais
É saber que somos capazes
De aprender, mesmo errando.
E ir aos poucos consertando.
E modificando nossas vidas
De forma produtiva
Então tire de si o peso do erro
Não sofra em segredo
Não viva com medo
Aprenda que na vida não somos perfeitos.
Cada um tem lá seus defeitos
E sabe o que carrega no peito
Viva apenas o AGORA
E viva sem demora
Porque a vida passa voando
E mesmo que seja errando
Ou acertando
Erros ou acertos tanto faz na verdade.
O importante é viver sempre a FELICIDADE.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Paradoxos Próprios



















Dos complexos paradoxais
Das crises existenciais
Fundamentalismo barato
Sentimento abstrato

Retrata-se o desequilibrado
Deixando arestas dos erros passados
E o contraste do contexto
Já não é mais válido como pretexto

Vê-se às margens da inquietude
Tem lá seus medos de que tudo mude
Mas é fato consumado sua intensidade
E nada nem ninguém mudara sua identidade

Olha-se no íntimo do ser-ou-não-ser
E chega ao ponto de sentir o coração doer
Por ser tantos "eus" num só corpo
Coabitando na mente de um louco

Mas chega a conclusão de que é assim
"Queres eu que todos gostem de mim?"
NÃO. Em alto e bom som pra todo mundo ouvir
Ele é no fundo, só mais um dentre tantos...
...tentando existir.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Rotineiro




















A calmaria da cidade pequena
Fazia as almas serenas
Dançarem ao embalo da lua
Que tinha para si, o brilho toda sua
E de mansinho a noite foi clareando
E um novo dia chegando
E tudo começa outra vez
Os velhos na praça jogando xadrez
A padaria lotada para o café
A igreja com seus devotos cheios de fé
Homens indo trabalhar como sempre
Um dia nada diferente
Mas nessa rotina toda havia algo inusitado
E se o sol não tivesse acordado?
E se a vida tivesse parado?
E se, numa noite tudo tivesse mudado?
Não percebemos que um novo dia deve-se sempre celebrar
Não mais 24 horas pra sorrir, viver e amar
Cada dia é uma dádiva que não percebemos
Ou fingimos que não vemos
Hoje mesmo você viveu o seu dia
e ainda teve a ousadia
de reclamar do cotidiano rotineiro
Meu caro, a vida é de momentos inteiros
Então hoje, antes de dormir, agradeça ao dia de hoje de verdade!
Que o amanhã lhe recompensará com muita felicidade...

domingo, 8 de outubro de 2017

Devaneios de outrora


















Via o mundo por uma janela
E em tudo que via nela
Sentia necessidade de viver
De tentar outra vez se reerguer

Cometeu erros como todos nós
Cai, sofreu e foi seu próprio algoz
Mas seguiu firme sua caminhada
E foi tocando a vida pela longa estrada

E de proza e anseios
Descobriu em si seus devameios
E aprendeu que a voz que vem de dentro
É bem mais forte que a gritada pelo vento

Passou então a ser calmaria
Viver sempre as coisas boas do dia
E viver em plenitude serena
Em sua vida mansa e pequena

E hoje não vê o mundo pela janela
Hoje ele vive aqui, vivendo nela.
Porque errar, todo mundo erra
E no fim, terminamos todos do mesmo jeito
Os justos e os desajustados embaixo da terra...

Doutor e paciente
















Entre anotações e linhas, pergunta o doutor:
O que sentes e qual a sua dor?
Jovem tão irritado!
Que mal consegue ser controlado?

Descobri doutor que sofro de dores
Alguns chamam de amores
Mas a mim só me causam mal
O que é isso afinal?

Isso meu caro paciente
É a dor de todo vivente
que um dia se pôs a amar
Você aprendeu que seu coração foi feito pra somar!

E o paciente saiu dali aliviado
Tinha enfim encontrado
O sentido de viver
Não importa que às vezes tenhamos que sofrer

O importante é se permitir amar mais a cada dia!

sábado, 7 de outubro de 2017

Olhos fechados


















Às vezes é difícil falar
Mas mesmo assim temos que mostrar.

Pensamentos dança em nossas mentes
E todo mundo parece que mentem
E  não sente pena dos seus atos

Perdemos o interesse dos fatos

No alto do prédio, via ela, a cidade iluminada
Mas lá dentro do seu coração, não sentia nada
Só um imenso vazio sem sentido
Pelos tantos sonhos que haviam morrido.
Uma breve brisa de vento tocou-lhe o rosto
E ela ainda sentiu pela última vez  o gosto
De estar viva...

... E então fechou os olhos e saltou...

Encontrando-se















Faço do vento leve
Uma pequena prece
Que me traga a felicidade
E um pouco mais de coragem

Ouço o vento passar
E no seu sopro, meu pedido levar
E um dia ele será atendido
E eu serei alegre por ter vivido

E é na calmaria da brisa mansa
Que me faço criança
E fico as nuvens a olhar
Esperando um dia me encontrar

E deitado aqui nesse chão de terra
Vejo que tudo se encerra
E ponho fim nessa agonia.
No fim, esse tempo todo eu era feliz e não sabia...

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Aprendendo a amar

















Havia um coração amargo
Sentia sempre uma falta de afago
Às vezes só queria um abraço
Ter alguém  pra segurar nos braços

Ele vivia sua vida solitária
Sempre tão afoitada
Que mal se dava conta que o amor
Chegaria em breve pra acabar com essa dor


E quando ele a encontrou
Suas vida mudou
Ele passou a apreciar os detalhes
E soube viver de verdade

Quando ela chegou
Ela se entregou
E ele sentiu algo que nunca imaginava
Finalmente descobriu que ele também amava...

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Menina














O descompasso
Da vida sem traço
Vive sempre fora dos padrões
E faz pulsar os corações

Menina de sorriso brando
Que carrega em si todo o encanto
De ser bela só por existir
E ainda mais bela quando a veem sorrir

Menina que já chorou muito
Que enfrentou sozinha o mundo
E nunca perdeu a fé
E hoje sabe bem o que quer

Ela só quer ser feliz e amar
Amores sinceros que não a façam chorar
Ela quer alguém em quem confiar
E finalmente se entregar

De corpo, alma e coração
E mesmo que perca a razão
Ela será feliz por ser verdadeira
E finalmente, ser ela por inteira...

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Sobre viver


















Busque sua libertação
Não se prenda a solidão
Não viva em vão

Não temas o desconhecido
Só porque ele ainda nem foi vivido
Encare-o de frente
Com muita fé e a coragem na mente

Não desista dos seus sonhos conrcretos
A vida é quase sempre feita e incertos
e alguma vezes ela acerta
Outras... ela erra

Mas não tenha medo de viver
Viva sempre com vontade e prazer

Porque um fato é certo:
Todos nós não somos etermos
E quando sua vida parecer fraca, mas serena
Você terá a certeza de que
tudo isso valeu a pena....

Vida Livre


















É no entendimento da alma
Que encontramos a calma
Para seguir adiante
E deixar distante
Todos os contratempos da vida
É bobagem lamentar pelo que já passou
Esqueça as coisas pelas quais chorou
E viva a vida prelnamente
Se envolva nessa dança eloquente
E seja feliz por viver sem medo
Viva livre dos teus segredos
Apenas sinta a alegria
De ver raiar de novo, um novo dia
Viva o hoje, o agora!
E acima de tudo...

Seja feliz!

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Vida Concreta














A vida é uma incontinuidade de coisas inacabadas
Vivemos sempre a espera de coisas inesperadas
Fazemos da nossa comodidade, nossa morada
E assim vamos seguindo
Ora indo
Ora indo
E as problemáticas que surgem pelo caminho
Resolvemos do nosso jeito
Ainda que não seja perfeito
Seguimos adiante
Com o pensamento tão distante
Que deixamos de sonhar sonhos reais
Pra divagar em nossos anseios
E no fim, tudo é devaneio
Porque ninguém vive só de sonhos positivos
Às vezes é até melhor estar vivo
E fazer nossas vidas valerem a pena!

domingo, 1 de outubro de 2017

#Liberte sua cabeça





Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente.
A gente muda o mundo na mudança da mente.
E quando a mente muda a gente anda pra frente.
E quando a gente manda ninguém manda na gente.
Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura.
Na mudança de postura a gente fica mais seguro, na mudança do presente a gente molda o futuro!
(Gabriel pensador)

sábado, 30 de setembro de 2017

Inesperado

















O que eu vejo
É o reflexo do que eu sinto
E às vezes eu minto
Que tudo está bem

Porque vivo tantas intensidades
Que me perdi nas verdades
De saber ao fundo
Quem é quem.

Mas vivo de forma serena
Ainda que a felicidade seja pequena
Sou assim cheio de anseios
Vivendo meus próprios devaneios

Fazendo dos dramas
Pura poesia
Amando as amarguras
E vivendo a beleza de cada dia

Porque a vida é uma incontinuidade
Cheia de meias verdades
Que nos move sempre em frente
E no fundo é isso que ela espera da gente...

...O Inesperado

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Uma Nova prendiz

O Escritos Desvairados tem a grande honra de receber uma parceira pra fazer parte deste blog, que desde 2011 vem trazendo a poética solitária desde humilde aprendiz.
Eu propus o desafio e ela aceitou, me encho de orgulho de ceder este espaço pra uma pessoa que tem feito a vida deste poeta mais feliz a cada dia e que é uma pessoa incrível, encantadora e fantástica.
Quero apresentar à vocês Iria Caroline que a partir de agora, compartilhará conosco suas poesias uma vez ao mês aqui neste espaço e na nossa página no Facebook: Escritos Desvairados (Se você ainda não deu seu like, corre lá e ajude a espalhar nossa poesia pelas redes sociais)
Eu encontrei nessa menina uma amiga, uma namorada, uma parceira e ela tem mudado minha vida de uma forma que eu nem saberia explicar com palavras e este blog tem feito parte da minha vida! Nada mais justo que eu cedesse um cantinho do meu espaço favorito no mundo pra que ela também compartilhasse conosco seu incrível talento com as palavras!
Carol, seja muito bem vinda, o coração deste poeta se ilumina com a sua chegada!
Sinta-se sempre em casa por aqui!
O Escritos desvairados agora é sua casa também!!!

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Somos sempre amor e nada mais


















As inquietudes da alma cansada
Que hora se cala
E hora desatina a falar
Sobre sua intensa forma de amar
Fala de lutas constantes
De problemas que parecem gigantes
Mas que nos unem cada dia mais
Amando-nos me sinto capaz
De enfrentar um dia de cada vez.
Sem perder a altivez
De ser eu mesmo
Sm dogmas e preconceito
Sou apenas um sujeito
Vivendo um amor lindo
E que seja bem vindo
Todos os dias bons
Mesmo que ainda tenha tons
De algumas inquietudes
Amar é olhar mais para as virtudes
Do que se abater por pensamentos bobos
Porque no fim, somos todos
Uma incontinuidade todos os dias.
E ainda assim, somos poesias
Que apenas transmitem o amor
Puro
Simples
E intenso amor...

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Palavras eternas

















As palavras que divagam
Viajam
Mas nunca se calam
São levadas pelo vento
E entram pelo ouvido desatento
Até encontrar o firme pensamento
E lá faz morada residente
Persistente
Resitente
Consciente
De que palavras
Mesmo que não faladas
Ou  às vezes gritadas
Até as não ditas
E as malditas
São nossa fonte inesgotável de poder
É onde mora nosso saber
E nos abre a mente
Que reluta impertinente
Em entender
Que as palavras também é uma forma de viver
Não para sempre
Mas eternamente
Vivo
No que um dia, dissemos com convicção 

domingo, 10 de setembro de 2017

Sobre Ele






















Ele tinha na alma cansada
O peso de quem não sabia de nada
E carregava no olhar profundo
Todo o peso do mundo

Ele tinha o descompasso
Que apertava o peito feito laço
Nos pensamentos tão distantes
Que sempre soavam tão destoantes

E lá no fundo de si, tinha algo que sussurrava
Que o coração que há muito não amava
Estava prestes a encontrar
Um novo e bom motivo pra sonhar

E enfim, esqueceu de todo sofrimento já vivido
E permitiu ao seu coração ainda ferido
Sentir um forte amor novamente
Permitiu-se demonstrar, de novo o que sente

E ao se permitir, foi ser feliz.
Porque ele ainda era um jovem aprendiz
De poeta que vive de amor
Aprendendo a plantar flor
Onde antes só havia dor. 

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Outra ausência

Mais uma vez o poeta pede licença e pode se ausentar por uns tempos, mas desta vez é por uma "boa causa" 

Estarei dedicando meu tempo e minha escrita num novo projeto. Aqui no blog, poucos sabem, mas eu também escrevo contos de suspense e agora estou empenhado na construção do meu primeiro livro, um romance policial que já está ganhando forma. 
Então por hora, terei que deixar a paixão da poesia fluir apenas vez ou outra, até concluir meu projeto. Mas não deixarei o blog, estarei sempre aqui e sempre que a poesia me visitar. 



Por hora, deixo a sinopse do meu futuro livro e peço a torcida de todos que me acompanham para que meu sonho enfim se torne realidade.

De volta a cidade do Medo. 



Fred leva uma vida tranquila numa cidade do interior paulista, até que sua vida sofre um grande abalo. Após passar por uma tragédia e ter que lidar com a responsabilidade da culpa, ele decide deixar sua cidade natal e mudar-se para a capital, tentar recomeçar a vida longe das lembranças de seus erros
.
Sete anos se passa e ele é agora Frederico Machado, investigador da DHPP de São Paulo, mesmo atormentado pelas lembranças do passado ele consegue seguir sua vida solucionando homicídios e está prestes a ser delegado. Mas então uma ligação no meio da noite de um antigo amigo do passado muda tudo.
Na manhã seguinte, lê nos jornais que Murilo cometeu suicídio. O mesmo amigo que na noite anterior lhe fez uma ligação misteriosa e cheia de palavras que antes pareciam desconexas, mas que agora lhe dão apenas uma certeza, não fora suicídio. Seu amigo havia sido assassinado.
Fred então terá que voltar a cidade que lhe traz péssimas lembranças, uma cidade que lhe traz recordações que ele não quer relembrar. Mas é obrigado a enfrentar os fantasmas de seu passado para solucionar o assassinato de seu amigo.

Junto com outro velho amigo que agora é delegado, Fred e Edvaldo logo vão descobrir que a morte de Murilo foi apenas o começo. Outros eventos misteriosos vão colocar a sanidade de Fred a prova e ele terá que lidar com seus demônios pessoais, terá que remexer em velhas e doloridas lembranças na tentativa de capturar um misterioso assassino que parece ligado a seu passado e dedicado a vê-lo cada vez mais perdido em seus medos e tormentos.
E logo ele descobrirá que a vida de todos a sua volta correm um grande risco…

De volta a cidade do Medo é um romance policial que levará o leitor a uma enigmática caçada a um assassino misterioso e calculista, ao mesmo tempo em que despertará a curiosidade de seus leitores sobre o intrigante passado de seu protagonista cheio de lacunas e mistérios, é um livro que nos fará pensar até que ponto somos capazes de enfrentar nossos medos sem perder a sanidade.

LANÇAMENTO EM BREVE

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

A sombra do mundo

(Texto escrito em 2009)

















O mundo é um abismo.Um abismo imundo e insano onde os suicidas se jogam um a um cabeças abaixo.
Não precisamos tanto assim de sinceridade. Até porque a maioria delas só mostram um lado de duas opiniões E no fundo, sinceridade demais machuca.

Um belo dia desses eu vou acordar e o mundo inteiro estará mudo. E então as opiniões deles não significará mais nada para mim e para mais ninguém.
A vida na verdade é bem mais simples de se viver, se você souber lidar com ela. O fato é que nós fazemos a enorme questão de dificultá-la. Nós a complicamos de tal forma que por inúmeras vezes fica tão difícil continuar única e exclusivamente pelos caminhos que trilhamos em nossas mentes.
No fundo, tenho pena de minha sombra que não pode escolher seu próprio destino

Mas a grande verdade dessa vida é que todos nós somos iguais as nossas sombras. Vivemos dominados pelo mundo e por nossos medos. E são eles quem controlam nossos caminhos e muitas vezes trilham nosso futuro.

No fundo, nós somos a sombra do mundo. 

Águas da vida


















Incompreensível sentimento

Que não passa com o tempo
E aumenta mais a cada dia
Trazendo consigo sempre nova poesia

E a vida que passa sem pressa
Deixa mágoas ainda doloridas
Mas um dia, toda dor sempre cessa
E esquecemos as lágrimas sofridas

Corremos ao encontro do que nos faz bem
Deixando de lado tudo que nos faz mal
E sempre encontramos  em alguém
Algo que nos torne especial.

E mais dia, ou menos dia
A vida se renova
E se reinventa com certeza.

Talvez até nos traga alegria
Que sempre nos comprova
Que as águas da vida sempre seguem a correnteza...


quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Do seu jeito















Doravante fossemos apenas
Dezenas de incólumes sentidos
E os anseios que florescem
Fossem mais autênticos e vívidos.
Doravante a vida fosse menos intensa
E que nossa sentença
Fosse apenas morrer de felicidade
Mas a verdade
É que nem tudo é flores
Sofreremos algumas dores
Por causa de muitos amores
Amados pela metade.
Mas não perca sua boa vontade
De continuar caminhando
E amando
Viver a vida do seu jeito...

domingo, 20 de agosto de 2017

Uma verdade sobre mim

Ganhei carinhosamente o apelido de Sherlock por uma amiga: Elisangela
E inquestionavelmente há uma semelhança entre nós, descrita nessa frase do seriado: Sherlock :

SEMPRE SOBREVIVO ÀS QUEDAS.




Las falacias de mí mismo






















Entiendo que entenderme toma tiempo
No deseo ser contratiempo
Y sé que la inquietud es breve
Pero el pecho desea viejos amores
Pero creo que todo es vago
Que el abstracto
Y nos confunda
En los iluda
Con sus medios términos
Pero lo que ha de venir
Puede sostener
El peso del alma
Y mantener la calma
Que ya no habla tanto en nosotros
Estamos solos
Y todo es tan vago
Que no sé lo que ha de venir
No sé si bailo tango
O se apago las luces y voy a dormir

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Pra sempre
















Vivenciamos coisas boas
E a vida que ecoa
Emana bons momentos
Transborda sentimentos
E transpassa a alma
Nos tira a calma
No bom sentido
Por tudo aquilo já vivido
E o que há de vir
Com tudo aquilo que vamos sentir
Na intensidade do ser
E na alegria de viver
Estamos ainda longe de alcançar
O verdadeiro sentido de amar
Porque amor sempre é mais
É sempre capaz
De nos fazer seguir em frente
E às vezes a gente sente
Que dentre todos os amores
Um deles é pra sempre...

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Ansiedades















Às vezes o peso do mundo
Parece profundo
E nos afunda num mar
De inúmeras inseguranças
E um medo ímpar
De antigas lembranças
A vida é um eco sem fim
Que ecoa dentro de mim
Tudo aquilo que eu sinto
E às vezes eu minto
Que tudo está certo
Quando a ânsia dentro do peito
Desata a chorar
Talvez por não saber amar
Ou talvez por amar demais
No fim tanto faz
Porque dos meus erros cuido eu
E só eu sei o quanto me doeu
Aprender a viver sozinho
Mas eu ainda sigo meu caminho
Com apenas uma certeza absoluta:
Tudo muda...

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Palavras mal faladas



















As controvérsias das letras
Que dissimuladas
Mal faladas
Ou não ditas
Se tornam malditas
E coam dentro de nós
Nos sentimos sós
Por estarmos tão calados
E o silêncio é um fardo
Árduo
E cheio de inquietudes
Que escondem nossas virtudes
Em palavras que não soam
Só ecoam
Dentro do nosso ser
Mudando nossa forma de viver
Somos personagens
Meras paisagens
Num retrato
Abstrato
Que é a vida, de fato. 

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Vivências
















O que na vida não vale
É viver com medo
Sofrer em segredo
E se fechar em si mesmo
Todos temos defeitos
Mas é besteira chorar arrependido
Por tudo aquilo que foi vivido
Sabendo que ainda há muito mais por vir
Com tantos outros motivos pra sorrir
E coisas novas a se descobrir
Não pense tanto nas coisas que passou
Nem reviva as lágrimas que chorou
Veja que há um novo mundo lá fora
Pronto pra ser vivido agora
Sem mais demora
Veja que a vida é linda
E que vale a pena ser vivida
Com intensidade
E de verdade
Não viva por viver
Seja quem você realmente quer ser
E seja!
Veja
Que tudo nessa vida vale a pena
Se sua alma não for pequena. 

Inquietudes Mudas
















A inquietude das falácias
E todas as expressões das palavras
Leves voam longe
E como pontes
Ligam pessoas, coisas e lugares
fazem da alma seus novos lares
E deixam o grito surdo
Que ecoa num peito ainda mudo
As mudanças que hão de vir
E as esperanças que podem ressurgir
Sem um aviso tangente
Tem tanta coisa que a gente sente
Mas quase sempre
Se cala
Mas o pensamento fala
E fala bem alto
Que o que se sente de fato
É que as inquietudes doem
E os sonhos se desconstroem
Pelo medo reprimido
Num peito abatido
Que precisa a qualquer custo gritar
Que mesmo em silêncio
Ele nunca vai deixar de amar...

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Tempo
















O tempo
Leve como o vento
Leva as dores
Nos traz novos amores
O tempo
Que já não temos
É passado
Foi deixado
Pra sempre guardado
Dentro de nós
Mas nunca estamos sós
Enquanto houver lembrança
O tempo leva tudo
Menos a esperança
De dias melhores
E que o tempo traga
Aquilo que nos agrada
E que nos mude
Que acabe com as inquietudes
E nos faça parar de chorar
Que o tempo nos ensine a amar
De novo, de novo e mais uma vez
E que talvez
O tempo nos traga de volta
Aquele amor que pensamos ter morrido
Mas que permanece vivo
Dentro de nós.

Mudanças II





















Caminhos tortos, andei.
Lágrimas derramei
Mas nunca parei de sonhar
E nunca deixei de amar

Alguns erros cometi
E por eles sofri
Mas não deixei me abater
Nunca perdi a vontade de viver

Aprendi novos caminhos
E descobri que nunca estamos sozinhos
E que sempre temos com quem contar
Mesmo quando seja difícil acreditar

Fiz versos simples, mas verdadeiros
Aprendi a me amar por inteiro
E não parar de lutar nunca
Porque no fim, a vida sempre muda

E o que antes era só escuridão
Se transforma em paz no coração
E a gente entende que a vida é uma continuidade
E é se levantando dos tombos, que se vive de verdade

domingo, 6 de agosto de 2017

Mudanças















O emaranhado de sentimentos
Que bagunça o pensamento
E distorce a teoria dos fatos
Modificam sutilmente os atos

E na bagunça que se torna os sentidos
Nos tornam ainda mais vivos
E dispostos a novas decisões
E aceitamos nossas inquietações

Porque a beleza do ser está no desconhecido
É assim que nos tornamos vivos
E dispostos a mudar

É na mudança do ser
Que mudamos nossa forma de viver
E aprendemos o que é amar...

Nunca é tarde para amar
















Havia em si o peso do mundo
E o olhar profundo
De algumas noites mal dormidas
E outras tantas bem vividas
E questionava-se por suas inquietudes
Uma parte de si, exigia mais amplitude
Queria alçar voos mais altos
Partiu pra vida em um novo salto
Saltou e foi.
Pra longe de si mesmo e se perdeu
A chama alta do seu ser, enfim ardeu.
E resplandeceu.
Uma alvorada de novos erros
Que ele perseguiu com muito aferro
Até finalmente encontrar
Depois de tanto chorar
Tinha ele alguém pra amar
E no amargo gosto que sentia
Ele se via
Como alguém que se desviou
E voltou
Por um novo amor
Mas principalmente por si mesmo
Porque cansou de viver à esmo
E encontrou no sorriso de alguém sua morada
E tirou da alma empoeirada
Aquele sentimento de mudança
Que ele acreditava ser apenas uma lembrança
De que ele tinha muito a sonhar
E que nunca
É tarde pra amar...

Sobre o tempo




















O tempo
Que às vezes passa depressa
E às vezes passa com calma
Cuida daquilo que trazemos na alma
E nos conforta
Ou às vezes nos afronta
Com sua instabilidade
O tempo traz a liberdade
Mas também tem o dom de nos tirar
Tudo aquilo que viemos um dia a acreditar
Ser pra sempre.
E descobrimos que o pra sempre é nada pro tempo.
Um espaço tão leve que pode ser levado pelo vento.
E nunca mais voltar
Mas que nunca deixemos de acreditar
Que tudo tem seu tempo certo
E que nenhum fato é concreto.
E que tudo muda.
Talvez hoje faça sol
Ou quem sabe faça chuva
Nunca tenha sua certeza imposta
Porque pra cada coisa dessa vida
Só o tempo tem a verdadeira resposta 

sábado, 5 de agosto de 2017

Mensageiro























Quando o pensamento se esvai
E a gente cai
Tudo parece enfim acabado
Nosso rumo sentenciado
E o coração quebrado
Mas nem tudo está perdido
E o ego ferido
Aprende a se reerguer
E volta de novo a viver
E tentar acertar
Ou pelo menos voltar a acreditar
Que tudo nessa vida é passageiro
E que todo erro é mensageiro
Pra nos ensinar
E nos fazer pensar
Nos erros cometidos
E em tudo que já foi vivido
E que ainda tem tudo pra dar certo
Se nos entregarmos por completo
Aos desafios que ainda estão por vir
E suportar as lágrimas que ainda vão cair
Antes que a gente possa enfim,
voltar a sorrir...

Distância














Entre dois pontos distantes
Há dois corações unidos
Onde nada pode apagar
Os bons momentos vividos

E a distância por maior que seja
Jamais tem a força de apagar
Dois corações que se amam
E nasceram pra se amar

A distância queima, magoa e machuca
Mas também nos ajuda
A ser mais fortes a cada dia
E transformar cada gota de saudade em poesia

A distância faz ao amor
Algumas pequenas maldades
Mas ela nunca tem o poder
De apagar um amor de verdade 

Sobre nós























De todas as pessoas nesse mundo
Foi você quem teve meu amor mais profundo
E nas inconsistência do meu ser
Fiz morada no teu peito e fui viver
Algumas vezes na minha vida, me deparei com certos amores
E todos eles de alguma forma, terminavam em dores
Mas com você eu só vejo flores
Fazendo do meu peito um imenso jardim
E é tanto amor, que já não cabe em mim.
Vaza pelos poros, Desce pelas mãos e viram poesia
Foi você quem trouxe luz de novo pro meu dia
E me fez entender quem eu sou de verdade
E encontrar no teu abraço a minha felicidade.
E mesmo que a distância insista em nos atrapalhar
Mesmo que o tempo do mundo tente nos derrubar
Eu juro que eu nunca vou deixar de te amar
E apesar de não saber o que vai ser de nós no futuro
Você será sempre meu porto seguro
Aquela que me aturou nos dias complicados
E sempre me fez sentir-me muito amado
Aquela que segurou minha mão, quando todo mundo me largou
De todas as pessoas do mundo, foi você quem mais me amou
E eu vou fazer tudo diferente, no que depender de mim
Pra te provar, com gestos e atitudes, que não chegou ao fim
E que nós, já não estamos mais tão sós.
O que antes era eu e você, agora seremos NÓS...




Dedicada à Caroline