sábado, 7 de fevereiro de 2015

De todos os amores que amei...




De todos os amores que eu amei, eu nunca imaginei que a vida fosse me dar de presente você. De todas as loucuras que eu já fiz, nunca pensei alguém mais maluca pudesse me aparecer, e me mostrar que a vida pode ser insana e bela, em todos os momentos. 

De todas as meras paixões, que meu peito poético me causou suspiros carregados de ardor, nunca, nem sequer imaginei, que você fosse me fazer suspirar mais do que ardor, me fazendo suspirar amor, amor em todas as formas e destilados conteúdos.

De todos os corpos que eu toquei, nenhum deles me tocou tão fundo e tão na alma, como o seu, e nenhum toque me foi tão suave, como o toque das suas mãos, num pulsar infinito de delicadeza e sutileza que me embriagou.

De todos os olhares que eu vi, nenhum deles teve a força resplandecente de uma manhã de domingo e ao mesmo tempo a voracidade de um furacão numa noite de tormenta, como os seus tiveram ao cruzar os meus.

De todos os sussurros que eu gemi, nenhum deles me trouxe tanta paz quanto os que, naquela noite demos juntos, deixando alheio o mundo aos nossos pés, esquecendo-nos  de nós mesmos e testemunhando o jamais imaginável dia em que o tempo parou pra nos ver amando.

De todos os momentos que eu vivi, os que mais me causam saudade e alegria por tê-los vivido, foi ao seu lado, e desesperadamente me peço todos os dias que eu ainda tenha muitos e muitos momentos desses pra viver contigo.


Porque, de todos os amores que amei, só com você, foi realmente amor. E hoje, eu sei que isso é tudo o que me importa pra ser feliz.

[...Este texto, é dedicado, pra aquela moça do sorriso sincero, que chegou pra me mostrar cada dia mais que cada dia ao lado dela, é um presente de deus, vindo pra me destrancar a alma e me permitir ser feliz outra vez...]

Um comentário:

  1. Quem será essa moça tão sortuda, hein?

    ResponderExcluir